Coreia do Sul libera exportações de 9 frigoríficos brasileiros

Com a habilitação das unidades de processamento de carnes, o Brasil tem hoje 35 estabelecimentos exportando para o país asiático

São Paulo – A Coreia do Sul autorizou mais nove unidades de processamento de aves e suínos do Brasil a exportarem produtos para o país asiático, afirmou o Ministério da Agricultura nesta quinta-feira (28).

Segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), foram habilitadas cinco novas plantas frigoríficas exportadoras de carne suína e quatro unidades de carne de aves.

Com as mais recentes habilitações, o Brasil detém hoje 35 estabelecimentos de aves e de suínos exportando para a Coreia do Sul, segundo a associação que representa a indústria.

A liberação sul-coreana para a carne suína brasileira é mais recente, ocorrendo sequência de uma missão técnica ao Brasil para auditoria no final do ano passado.

Veja também

Em 2018, a Coreia do Sul importou mais de 110 mil toneladas de carne de frango do Brasil, aumento de cerca de 27 ante o mesmo período do ano passado, segundo a ABPA, que apontou importações de carne suína de 1,6 mil toneladas no mesmo período.

“A Coreia do Sul é um dos mercados mais pujantes entre os importadores da proteína animal do Brasil. Os números indicam um movimento ascendente nas exportações para aquele destino… É um importante sinal de confiança estabelecida com o setor de proteína animal brasileiro”, disse o presidente da ABPA, Francisco Turra, em nota.

A Coreia do Sul é um dos maiores importadores mundiais de carne. Ela compra cerca de 1,5 bilhão de dólares em produtos suínos por ano, de acordo com o ministério.