Contração da indústria europeia é mais rápida que esperado

A contração que começou nos membros menores da periferia do bloco de 17 países está agora atingindo Alemanha e França

Londres – O setor industrial da zona do euro contraiu-se mais rápido do que o esperado no mês passado, apesar das indústrias terem reduzido preços, uma vez que países centrais não conseguiram dar nenhum suporte, mostrou nesta segunda-feira a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI).

A contração que começou nos membros menores da periferia do bloco de 17 países está agora atingindo Alemanha e França e a situação permaneceu complicada na terceira e quarta maiores economias, Itália e Espanha.

“Países maiores como França e Alemanha permanecem em marcha a ré…o setor (industrial) está em vias de agir como um peso sobre o Produto Interno Bruto no terceiro trimestre”, disse Rob Dobson, economista sênior do instituto Markit, que organiza a pesquisa.

O PMI final do Markit para o setor industrial caiu para 45,1 ante leitura preliminar de 45,3, porém acima da mínima de três meses de julho de 44,0. Ainda assim, ficou pelo 13o mês abaixo da marca de 50 que separa crescimento de contração.

“A taxa de declínio foi um pouco menor do que em julho, fornecendo algum ânimo de que a contração da indústria pode estar diminuindo, mas o setor está em vias de agir como um peso sobre o PIB do terceiro trimestre”, completou Dobson.

Tendo contraído 0,2 por cento nos três meses até junho, a economia do bloco deve apresentar resultado similar no atual trimestre, sendo que nenhum crescimento é esperado até o início do próximo ano.

O índice de preços da produção caiu para 48,6 ante preliminar de 48,9, acima dos 48,3 de julho. Os custos dos insumos pagos pelas fábricas também recuaram pelo terceiro mês.