Consumo na periferia de São Paulo cresce mais que no centro

Segundo o estudo da consultoria Data Popular, as áreas de higiene, móveis e alimentação fora de casa foram as que mais se beneficiaram do crescimento

São Paulo – Os gastos com consumo na periferia de São Paulo cresceram em um ritmo mais acelerado que no centro nos últimos cinco anos, segundo um estudo da consultoria Data Popular.

De acordo com a pesquisa, o consumo no centro cresceu de 55,383 bilhões de reais para 68,081 bilhões entre os anos de 2005 e 2010 – uma alta de 22,9%.

Já na periferia, o montante total dedicado ao consumo aumentou de 89,170 bilhões de reais para 144,122 bilhões de reais, um salto de 61,6%.

Embora a população residente na periferia tenha crescido no período – de 8,593 milhões para 8,945 milhões de pessoas –, o aumento de 4% foi muito inferior ao crescimento do consumo, o que indica que houve de fato um aumento no poder de compra da população residente nestas áreas. Já a área central registrou uma ligeira queda na população, de 2,028 milhões para 1,941 milhões de habitantes (4,3%).

Entre as categorias que registraram maior aumento de consumo estão higiene e cuidados pessoais (116,7% na periferia e 57,1% no centro); móveis e artigos para casa (86,7% na periferia e 33,3% no centro); alimentação fora do domicílio(54,3% na periferia e 12,5% no centro); alimentação no domicílio(15,4% na periferia e 1,5% no centro).

Na categoria eletrodomésticos, os consumidores da periferia foram na contramão dos do centro. Enquanto os primeiros consumiram 9,7% mais eletrodomésticos, os segundos registraram queda de 8,3% nas compras na categoria. 

O fortalecimento do consumo na periferia gera oportunidade para pequenos negócios localizados nestas regiões.

Confira na tabela a seguir os bairros com maior crescimento em consumo no período de 2005 a 2010:
 

(Data Popular)