Consumidores da zona do euro dão pouco alívio à economia

O comércio continuou abaixo do que foi visto um ano antes e provavelmente terá pouca relevância para a economia do bloco

Bruxelas – Os consumidores franceses e alemães ajudaram as vendas no varejo na zona do euro a crescer mais do que o esperado em março, mas o comércio continuou abaixo do que foi visto um ano antes e provavelmente terá pouca relevância para a economia do bloco, que entra em recessão.

As vendas no varejo nos 17 países que compartilham o euro subiram 0,3 por cento em março ante fevereiro, informou nesta sexta-feira a agência de estatísticas da zona do euro, Eurostat. Economistas consultados pela Reuters esperavam que o volume das vendas ficasse inalterado.

O desempenho acima das expectativas aconteceu devido a uma demanda mais forte na França, onde as vendas no varejo subiram 0,9 por cento, e na Alemanha, que registrou alta de 0,8 por cento nas vendas.

Mas o resultado não marcou uma mudança de cenário, segundo economistas.

Mesmo em países ricos como Bélgica e Finlândia até os endividados Espanha e Portugal, as vendas caíram. As vendas no varejo retraíram 0,2 por cento na base anual na zona do euro em março, continuando a tendência de queda verificada desde a metade do ano passado.