Congresso isenta de impostos CDs e DVDs nacionais

A sessão solene foi acompanhada por artistas, alguns deputados e senadores, além da ministra da Cultura, Marta Suplicy

Brasília – O Congresso Nacional promulgou nesta terça-feira, 15, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que isenta de impostos os CDs e DVDs com obras de artistas brasileiros.

A sessão solene foi acompanhada por artistas, alguns deputados e senadores, além da ministra da Cultura, Marta Suplicy. A bancada amazonense, crítica da proposta, não marcou presença.

A emenda constitucional foi aprovada no Senado no fim de setembro em votação conturbada, com reclamações dos senadores do Amazonas.

O líder do governo na Casa, Eduardo Braga (PMDB-AM), tentou obstruir a votação, sob a alegação de que ela acarretará prejuízos à Zona Franca de Manaus, onde hoje há fábricas de CDs e DVDs.

A ministra Marta Suplicy, que acompanhou a promulgação na mesa do plenário do Senado, disse que a PEC vem igualar os artistas brasileiros aos de outros países.

“Essa PEC faz a equiparação tributária de música de outros produtos culturais, como revistas, o que acho muito justo. Esse é um dia histórico para quem cria música e, sobretudo, para o consumidor final que vai ter acesso a comprar produto com custo muito menor com isenção de impostos”, disse, em discurso na tribuna da Casa.

Também compareceram os cantores Fagner e Rosemary. O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) sentou-se ao lado do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

O deputado Otávio Leite (PSDB-RJ), o primeiro signatário da proposta também fez quórum na mesa do plenário, junto com os senadores Romero Jucá (PMDB-RR) e Inácio Arruda (PCdoB-CE).