Confiança na zona do euro cai e traz dúvidas sobre crescimento

Os atritos entre o Ocidente e a Rússia e as restrições comerciais impostas por Donald Trump assustaram os mercados nas últimas semanas

Bruxelas – A confiança econômica nos 19 países que usam o euro caiu pelo terceiro mês consecutivo em março, mostraram dados da Comissão Europeia nesta terça-feira, sugerindo que o crescimento econômico no bloco não estava tão constante quanto se pensava.

O Indicador de Sentimento Econômico da Comissão caiu para 112,6 em março, de 114,2 em fevereiro, abaixo da expectativa de 113,4 em pesquisa da Reuters com 34 economistas.

A leitura pessimista do sentimento econômico junto com a queda nas expectativas de inflação tanto para os consumidores quanto para os fabricantes, bem como dados anteriores sugerindo que o crescimento dos empréstimos e a oferta de moeda na zona do euro também haviam desacelerado, levaram o euro a uma máxima de cinco semanas.

Os atritos entre o Ocidente e a Rússia e as restrições comerciais impostas pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assustaram os mercados nas últimas semanas e parecem ter também deixado sua marca em administradores e consumidores do mundo real, disseram analistas.

O Banco Central Europeu disse recentemente que o crescimento da zona do euro pode até superar as expectativas no curto prazo, mas os dados de sentimento são mais uma indicação de uma tendência de enfraquecimento, depois que a confiança empresarial na Alemanha, a maior economia do bloco, caiu para o menor nível em 11 meses na semana passada.

A Comissão projeta que a economia da zona do euro crescerá 2,3 por cento este ano, após expansão de 2,4 por cento em 2017.

A confiança do consumidor permaneceu inalterada em março na comparação com fevereiro, disse a Comissão, confirmando estimativa preliminar.