Confiança empresarial na indústria é a maior desde março de 2013

Resultado significa que o Icei se consolidou no lado positivo da confiança

Brasília – Com um salto de 3,1 pontos na comparação com agosto, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) chegou a 55,7 pontos em setembro, de acordo com pesquisa divulgada nesta sexta-feira, 22, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Um uma escala na qual valores acima de 50 pontos significam otimismo do empresariado, esse é o melhor desempenho do o indicador desde março de 2013.

Para a entidade, o resultado significa que o Icei se consolidou no lado positivo da confiança. Além disso, com a melhora do otimismo em setembro, o Icei passou a ficar acima de sua média histórica, de 54 pontos.

“Tão importante quanto o aumento registrado no mês, é a manutenção da trajetória ascendente, de forma a garantir que o grau de confiança dos empresários seja suficientemente alto para reativar o investimento no setor industrial”, avaliou a CNI, no documento.

“Sem investimento, a economia brasileira não estará preparada para voltar a crescer em ritmo mais elevado nos próximos anos”, completou a entidade.

Dentre os componentes do Icei, a avaliação dos empresários da indústria sobre a situação atual da economia e de suas empresas ultrapassou a linha divisória dos 50 pontos pela primeira desde novembro de 2012. O chamado Índice de Condições Atuais avançou 4 pontos na comparação com agosto e chegou a 50,5 pontos.

Já o Índice de Expectativas, que revela as perspectivas dos empresários do setor para os próximos seis meses, ampliou o otimismo. O indicador passou de 55,8 pontos em agosto para 58,4 pontos em setembro.

Para a formação do Icei de setembro, foram computadas as respostas de 2.966 empresas, sendo 1.165 de pequeno porte, 1.142 de médio porte e 659 de grande porte. Os dados foram coletados entre os dias 1 e 15 deste mês.