Comissão Europeia comemora entrada da Rússia na OMC

O órgão considera a adesão importante para a UE, já que o bloco é o principal parceiro comercial do país

Bruxelas – A Comissão Europeia celebrou nesta quarta-feira a entrada da Rússia na Organização Mundial do Comércio (OMC), adesão que considera “particularmente importante para a União Europeia” (UE), já que o bloco é o principal parceiro comercial do país.

“A entrada na OMC da Rússia é um passo decisivo para a integração do país na economia mundial”, afirmou em comunicado o comissário europeu de Comércio, Karel De Gucht, que destacou que o ingresso “facilitará o investimento e as importações e exportações para as empresas de ambos os lados”.

Segundo a Comissão, a posição geográfica da Rússia e a importância de seu mercado em termos de volume e crescimento “tornam muito importante a associação comercial com a UE”.

Em 2011, a UE exportou para a Rússia 108,4 bilhões de euros e importou 199,5 bilhões. O maior nicho de exportação da UE para a Rússia é o setor automotivo (sete bilhões de euros), remédios (seis bilhões de euros), peças de carros (3,5 bilhões de euros), telefonia (2,5 bilhões de euros) e tratores (um bilhão de euros).

As principais importações da UE para a Rússia são do setor energético. Em 2011, a UE importou 130 bilhões de euros em petróleo e 24 bilhões em gás da Rússia. Esses produtos, a partir de agora, terão suas taxas alfandegárias reduzidas, de acordo com as prerrogativas para um país ser membro da OMC.

A partir de agora, Moscou terá que diminuir seus impostos de importação e exportação, aumentar o acesso aos seus mercados e serviços e flexibilizar as relações econômicas bilaterais.

A UE estima que economizar com as novas vantagens comerciais 2,5 bilhões de euros anuais. A Comissão também destacou outras vantagens da entrada da Rússia na OMC, como “novas normas nos procedimentos de alfândega e uso de medidas de saúde e de padrões técnicos de proteção da propriedade intelectual”.