Comer em casa ficou mais barato em julho

Alimentos que subiram em julho foram leite (2,16%) e derivados como queijo (1,82%), leite em pó (0,87%) e iogurte (0,52%)

Rio – O grupo Alimentação e Bebidas registrou em julho o segundo mês consecutivo de deflação, segundo os dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) apurado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e divulgado nesta sexta-feira, 08. A variação de preços saiu de -0,11% em junho para -0,15% em julho.

Os alimentos consumidos em casa ficaram 0,51% mais baratos em julho. Os preços chegaram a cair 2,26% em Campo Grande. Apenas São Paulo teve aumento na alimentação em domicílio.

Já a alimentação fora de casa aumentou 0,52% em julho (ante alta de 0,82% em junho). O destaque de alta foi a cerveja consumida fora de casa, que ficou 1,63% mais cara.

Outros alimentos que subiram em julho foram leite (2,16%) e derivados como queijo (1,82%), leite em pó (0,87%) e iogurte (0,52%), além de café moído (1,34%) e frango em pedaços (1,26%).

Na direção oposta, os destaques na lista de itens que ficaram mais baratos foram a batata inglesa (-18,84%) e o tomate (-17,33%).