CNseg prevê alta de 12,4% do mercado de seguros em 2015

Os destaques, conforme a Confederação, serão os segmentos de saúde e previdência privada, com alta de 17,5% e 10,5%, respectivamente

São Paulo – O mercado de seguros deve acelerar o ritmo de crescimento no próximo ano e alcançar expansão de 12,4% em relação a 2014, segundo projeção da Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg).

Os destaques, conforme a Confederação, serão os segmentos de saúde e previdência privada, com alta de 17,5% e 10,5%, respectivamente.

“Temos expectativa de Produto Interno Bruto (PIB) para o ano que vem bastante conservadora. Mesmo em um cenário sem muita expansão da economia, o mercado de seguros vai continuar com sua rota de crescimento na casa de dois dígitos”, destacou Marco Antônio Rossi, presidente da CNseg e da Bradesco Seguros.

A expectativa da CNseg para o segmento de seguro de vida é de 8,7% e para seguros gerais é de avanço de 7,6% no ano que vem ante 2014.

Já o segmento de capitalização, segundo Rossi, deve apresentar incremento de 8,0%.

Ele afirmou ainda que o mercado de seguros deve encerrar este ano com crescimento levemente acima da projeção da CNseg, com expansão de 11,2%.

Recentemente, a Confederação revisou para baixo sua expectativa para o crescimento do segmento em 2014, que passou de 15,6% para 11%.

Para o segmento de saúde, a CNseg projeta alta de 15,2% este ano ante 2013 e de 11% para previdência privada.

Seguros gerais, vida e capitalização devem crescer 9,0%, 5,9% e 5,0%, respectivamente, e na mesma base de comparação.

De janeiro a outubro, considerando saúde até junho, os prêmios do mercado de seguros alcançaram R$ 154,9 bilhões, aumento de 7,9% em um ano, segundo a CNseg, com base nos dados da Superintendência de Seguros Privados (Susep) e da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Excluindo saúde, o avanço foi de 8,9%.

Na análise por regiões, os destaques foram Centro-Oeste e Nordeste, com expansões de 14,94% e 9,40%, respectivamente e na mesma base de comparação. Já entre os segmentos, os maiores avanços vieram de saúde e previdência privada.

O desafio para o próximo ano, segundo Rossi, é ampliar a oferta de seguros para os consumidores, oferecendo proteção para os diversos riscos aos quais as pessoas estão expostas.

O segmento de pequenas e médias empresas, conforme o presidente da CNseg, é uma oportunidade de crescimento para o setor.

O mercado de seguros hoje representa 6% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. Há 15 anos, estava em 1%.

O patrimônio líquido do segmento atingiu R$ 117,7 bilhões ao final de outubro (sendo saúde com dados até junho), e as provisões técnicas somaram R$ 557,3 bilhões.