China nega planos de reduzir ou parar compras de Treasuries

País rebateu a notícia de que altos funcionários do governo chinês teriam recomendado medidas de cortes na compra de papéis da dívida pública americana

Pequim – A China negou nesta quinta-feira estar considerando a possibilidade de reduzir ou interromper suas compras de Treasuries, como são conhecidos os papéis da dívida pública americana.

Ontem, circulou notícia de que altos funcionários do governo chinês teriam recomendado medidas nesse sentido, o que impulsionou os juros dos Treasuries e afetou também mercados acionários e de câmbio.

Em comunicado divulgado em sua página na internet, a Administração Estatal de Câmbio (Safe, na sigla em inglês) da China disse que o relato pode ter se baseado “em fontes com informações erradas e pode ter sido notícia falsa”.

O regulador não fez comentários sobre Treasuries ou se o mercado de dívida dos EUA mudou recentemente. A Safe, por outro lado, declarou que gere investimentos com o objetivo de diversificar e preservar ou aumentar o valor de ativos.

A posse de Treasuries pela China aumentou durante a maior parte do ano passado, atingindo quase US$ 1,2 trilhão em outubro, segundo dados do Departamento do Tesouro dos EUA.