China flexibiliza regras para investimento externo

De acordo com as novas regras, apenas os investimentos em países ou regiões e indústrias avaliados como "sensíveis" precisarão ser aprovados pelo ministério

Pequim – O Ministério do Comércio da China publicou novas regras que flexibilizam os procedimentos burocráticos para as empresas chinesas realizarem investimentos no exterior, disse a agência oficial de notícias Xinhua neste domingo.

De acordo com as novas regras, que entrarão em vigor em 6 de outubro, apenas os investimentos em países ou regiões e indústrias avaliados como “sensíveis” precisarão ser aprovados pelo ministério.

Países e regiões sensíveis são nações que não têm relações diplomáticas com a China ou que estão sujeitas a sanções das Nações Unidas, disse a Xinhua.

O ministério não especificou quais setores foram considerados sensíveis, mas disse que investimentos de indústrias reguladas pelo regime de controle de exportação da China e “projetos que afetam os interesses de mais de um país estrangeiro” precisarão obter autorização.

Projetos de investimento estrangeiro em todas as outras áreas só teriam de ser registrados no ministério. Anteriormente, o órgão precisava aprovar os projetos de investimento estrangeiro no valor de mais de US$ 100 milhões, conforme a Xinhua.

As novas regras são a mais recente iniciativa da China para tornar mais fácil para empresas do país investirem no exterior. As companhias nacionais estão cada vez mais estudando a compra de empresas estrangeiras com boa tecnologia, marcas reconhecidas, ou redes de comercialização eficazes. Fonte: Dow Jones Newswires.