China diz que terá conversa aprofundada com EUA sobre questões comerciais

Trump ameaça aplicar novas tarifas contra importações chinesas, caso o país não adote medidas sobre propriedade intelectual

Pequim – A China e os Estados Unidos terão conversas aprofundadas sobre questões comerciais e econômicas durante a visita do primeiro-ministro chinês, Liu He, aos EUA na próxima semana, informou o Ministério do Comércio da China nesta quinta-feira.

Ambos os lados estão atualmente em contato sobre os detalhes da visita em 30 e 31 de janeiro, disse Gao Feng, porta-voz do Ministério do Comércio, a repórteres.

As notícias de que os EUA cancelaram as reuniões com a China não são verdadeiras, disse Gao, acrescentando que os dois lados estão mantendo contato próximo.

“Durante as próximas negociações de alto nível, os dois países continuarão a realizar conversas aprofundadas sobre várias questões econômicas e comerciais de interesse mútuo”, disse Gao.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, prometeu aumentar as tarifas para 25 por cento, ante 10 por cento, sobre 200 bilhões de dólares em importações chinesas em 2 de março, a menos que a China tome medidas para proteger a propriedade intelectual dos EUA.

Trump também quer que a China acabe com as políticas que forçam as empresas norte-americanas a ceder tecnologia a um parceiro chinês, permitir mais acesso ao mercado para as empresas dos EUA e reduzir outras barreiras não tarifárias aos produtos norte-americanos.

A China tem repetidamente minimizado as queixas sobre os abusos de propriedade intelectual e negou as acusações de que empresas estrangeiras enfrentam transferências forçadas de tecnologia.