China aprova reformas tributárias para encarar desigualdades

Os planos aprovados pelo Conselho Estatal --gabinete da China-- incluem compromissos para avançar com reformas da taxa de juros orientadas pelo mercado

Pequim – A China apresentou reformas tributárias nesta terça-feira para fazer com que empresas estatais em melhores condições financeiras, especuladores imobiliários e os ricos paguem mais buscando reduzir a diferença entre a elite urbana e milhões de pobres da área rural.

Os planos aprovados pelo Conselho Estatal –gabinete da China– também incluem compromissos para avançar com reformas da taxa de juros orientadas pelo mercado buscando dar aos poupadores um retorno melhor e mais segurança.

Entre as reformas está a exigência de elevar a porcentagem de lucros com a qual as estatais contribuem para o governo em 5 pontos percentuais até 2015.

Somadas a medidas para elevar salários e melhorar o retorno das famílias relacionados a ativos, as reformas sinalizam uma tentativa de direcionar o crescimento econômico para o aumento do consumo, afastando-se do atual cenário de dependência de gastos em investimentos.

Uma mudança importante tornará a taxa de juros mais flexível. Os juros sobre os depósitos em poupanças têm ficado aquém da inflação há muitos anos, reduzindo os retornos das famílias e levando os que podem a investimentos mais especulativos.

O anúncio também fala em “construção de um mecanismo de longo prazo” para impulsionar as receitas rurais, e reitera promessas anteriores de elevar a renda, particularmente para os pobres.