Chanceler culpa EUA por crise da dívida na Venezuela

Durante uma visita oficial a Pequim, Jorge Arreaza atacou o presidente americano Donald Trump e as sanções americanas e europeias

O chanceler venezuelano Jorge Arreaza acusou nesta quinta-feira, em Pequim, os Estados Unidos pela crise da dívida de seu país e afirmou que a Venezuela sofre uma “agressão permanente” por parte de Washington.

Durante uma visita oficial à capital chinesa, Arreaza atacou o presidente Donald Trump e as sanções americanas e europeias.

“Nosso país é um país sob ataque e agressão permanente por parte dos governos dos Estados Unidos”, afirmou Arreaza em coletiva de imprensa na China, um dos países credores da Venezuela.

“Graças a Deus a humanidade conta contaRepública Popular da China para garantir a paz ou, ao menos, o menor número de conflitos”, acrescentou.

Segundo os especialistas, a Venezuela deve entre 20 e 30 bilhões à China, de uma dívida total que chegaria a 150 bilhões.

A Venezuela foi declarada em default parcial de sua dívida no mês passado, quando assinou um acordo para reestrutura seu déficit com a Rússia.

Pequim, por sua vez, se mostrou confiante de que o país poderá “gestionar apropriadamente” a crise de sua dívida.