Cartão de crédito básico perde espaço para o associado

Os cartões "intermediários", "premium" e "corporativos" tiveram crescimento de 9%, 29% e 34%, respectivamente, segundo levantamento divulgado pelo Banco Central

Brasília – O número de cartões de crédito “básicos” caiu 5% em 2011 em relação a 2010, de acordo com o Adendo Estatístico ao Relatório sobre a Indústria de Cartões de Pagamentos, divulgado nesta quinta-feira pelo Banco Central e pela Secretaria de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda.

Já os cartões “intermediários”, “premium” e “corporativos” tiveram crescimento de 9%, 29% e 34%, respectivamente, na mesma comparação. “Esse comportamento pode estar associado a estratégias dos emissores de aumentar a base de cartões associados a produtos com maiores tarifas de intercâmbio e de anuidade”, diz o relatório.

O número total de cartões de crédito emitidos caiu 2% na mesma comparação. Segundo o documento, parte dessa queda se deve a ajustes nas bases de cartões dos emissores devido às aquisições ocorridas recentemente no mercado bancário.

Os cartões emitidos sob a modalidade “híbrido” foram os mais afetados, com queda na participação de mercado de 19% para 16% do total. O número de cartões de débito chegou a 254 milhões emitidos e 87,9 milhões ativos em 2011, crescimento de 13% em relação ao ano anterior.

Cresce receita com anuidade

A pesquisa mostrou também que a receita de bancos e outros emissores de cartão de crédito com anuidade cresceu 18% em 2011 em relação a 2010. O aumento das anuidades foi, em média, de 15%.

Além disso, houve elevação na quantidade dos cartões “premium”, que cobram taxas mais altas. O financiamento de compras efetuadas com cartão de crédito representou 57% da receita total, crescimento de 13% em relação a 2010. Tarifas de intercâmbio representaram outros 19% dos ganhos.

No ano passado, a quantidade de transações aumentou 16,1% nos cartões de crédito e 22,7% nos de débito, para 3,9 bilhões e 3,6 bilhões, respectivamente. Também cresceu o número de transações por cartão ativo, para 45 negócios por ano no crédito (+13%) e 42 no débito (+11%).