Cai em outubro número de empresas abertas, diz Serasa

Foram criados 159.700 empreendimentos

São Paulo – A abertura de empresas no Brasil registrou queda de 8,5% em outubro ante setembro, com a criação de 159.700 empreendimentos, segundo pesquisa da Serasa Experian.

No acumulado de janeiro a outubro deste ano, o indicador de nascimento de empresas tem alta de 1,1% em relação a igual intervalo do ano passado, com 1.617.656 novas unidades.

De acordo com os economistas da Serasa, o fraco dinamismo da economia, as altas taxas de juros e as incertezas associadas ao processo eleitoral estão dentre os motivos que explicam a queda no nascimento de empresas em outubro.

O segmento dos Microempreendedores Individuais (MEIs) registrou a criação do maior número de empresas no mês passado: 113.682 novos negócios, mais ainda assim uma queda de 9,6% ante setembro.

As Sociedades Limitadas ficaram em segundo lugar, com a criação de 20.324 empresas (-4,5%). A criação de Empresas Individuais totalizou 16.009 novas unidades (-9,8%).

O surgimento de novas Empresas de outras naturezas jurídicas somou 9.685 nascimentos (-0,9%).

No acumulado do ano, das 1,6 milhão de novas empresas criadas 72,2% foram MEIs, 12,2% Sociedades Limitadas, 10,1% Empresas Individuais e 5,6% empresas de outras naturezas.

Segundo a Serasa, a crescente formalização dos negócios no Brasil é responsável pelo aumento constante das MEIs, registrado desde o início da série histórica do indicador.

Em cinco anos, esse tipo de empresa passou de menos da metade do total de novos empreendimentos (48,1% em 2010) para mais de 70% no último levantamento.

O Sudeste segue liderando o ranking de nascimento de empresas, com 829.543 novos negócios abertos entre janeiro e outubro de 2014, ou 51,3% do total.

A região Nordeste ocupa o segundo lugar, com 17,9% (289.505 empresas). A Região Sul segue em terceiro lugar, com 16,4% de participação (264.959 empresas). 

O Centro-Oeste vem na sequência, com 9,3% (150.904 empresas), e em último lugar está o Norte, com 5,1% (82.745 empresas).

Na divisão por segmentos, o setor de serviços lidera o nascimento de empresas no acumulado de 2014, com 58,9% do total. Em seguida aparecem as empresas comerciais (31,8%) e o setor industrial (8,4%).

Demais empresas (financeiro, primário e terceiro setor) somam menos de 1,0%.

O levantamento sobre o nascimento de empresas considerada a quantidade mensal de novas empresas registradas nas juntas comerciais de todas as unidades federativas do Brasil, bem como a apuração mensal dos CNPJs consultados pela primeira vez à base de dados da Serasa.