Cade aprova compra de ativos de petróleo da Engie por fundos

A transação ainda está sujeita à aprovação de órgãos reguladores do Reino Unido, da Alemanha, da Austrália e da Noruega

São Paulo – O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou, sem restrições, a aquisição da Engie E&P International, que concentra negócios em petróleo da companhia francesa, por um grupo que inclui fundos da Caryle e da CVC Capital Partners, além do CIC, fundo soberano da China.

De acordo com o órgão de defesa da concorrência, as empresas disseram que a Engie E&P possui no Brasil apenas uma participação limitada, por meio de subsidiária local, de 25 por cento a 35 por cento em 10 contratos de concessão de blocos exploratórios ainda não operacionais.

A aquisição dos ativos de petróleo da Engie pelos fundos acontece em meio a um movimento global do grupo francês para focar seus investimentos em tecnologias de baixo carbono e energias renováveis.

A transação foi notificada também na União Europeia e na Turquia, e está ainda sujeita à aprovação de órgãos reguladores do Reino Unido, da Alemanha, da Austrália e da Noruega.

A Engie E&P será comprada pelo fundo CIEP, do grupo de investimentos em private equity Caryle, por fundos da CVC, do CVC Capital Partners, e pela CIC Holdings, subsidiária integral do fundo soberano chinês, segundo o Cade.