Brasileiro adiou busca por trabalho em janeiro, diz IBGE

Segundo o instituto, o adiamento na busca por trabalho e a menor dispensa de trabalhadores ajudam a explicar a taxa de desemprego de 4,8% de janeiro

Rio – O adiamento na busca por trabalho e a menor dispensa de trabalhadores ajudam a explicar a taxa de desemprego de 4,8% de janeiro, a menor já verificada para o mês desde o início da série histórica da Pesquisa Mensal de Emprego, em março de 2002, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Embora tenha havido aumento em relação ao resultado de dezembro, de 4,3%, a taxa de desocupação tinha sido de 5,4% no mesmo mês de 2013.

Em janeiro, tradicionalmente há dispensa de trabalhadores temporários contratados para as festas do fim do ano anterior. Neste ano, no entanto, essa demissão de temporários foi mais contida. Ao mesmo tempo, não houve pressão sobre o mercado de trabalho de um aumento no número de pessoas à procura de emprego.

“É uma situação parecida com o que a gente vinha percebendo ao longo de 2013. Você não tem uma procura por trabalho tão expressiva, da mesma forma que você não tem uma dispensa muito grande”, explicou Adriana Beringuy, técnica da Coordenação de Trabalho e Rendimento do IBGE.

Adriana lembrou que, no decorrer de 2013, a taxa de desemprego vinha batendo mínimas históricas a cada mês. No entanto, a técnica alerta que pode haver crescimento no número de desempregados nos próximos meses.

“Essa pressão não tão forte (da procura por emprego) pode ser fruto de um adiamento dessa pressão para meses posteriores”, apontou.