Brasil vai enterrar modelo econômico social-democrata, diz Paulo Guedes

"Esse modelo econômico corrompeu a política, subiram os impostos, subiram os juros, nos endividamos numa bola de neve", disse Guedes

O governo do presidente eleito Jair Bolsonaro vai se concentrar em “mudar o modelo econômico social-democrata” no Brasil mediante um programa acelerado de privatizações e controle do gasto público, anunciou o futuro ministro da Fazenda, Paulo Guedes.

“O Brasil tem 30 anos de expansão de gastos públicos descontrolados (…) Esse modelo econômico corrompeu a política, subiram os impostos, subiram os juros, nos endividamos numa bola de neve”, disse Guedes à imprensa no Rio de Janeiro.

Ultraliberal formado na escola de Chicago, Guedes condenou “o modelo social-democrata”.

“Esse modelo social-democrata é ruim, somos prisioneiros do baixo crescimento, temos impostos altos, temos juros muito altos, comercializamos com poucos países”, declarou.

Guedes antecipou que as primeiras medidas econômicas de Bolsonaro, que vai assumir o cargo em em 1º de janeiro, vão se concentrar no controle do gasto público.

Para isso, acrescentou, “precisamos de uma reforma da Previdência”.

Também “vamos acelerar as privatizações porque não é razoável o Brasil gastar 100 bilhões de dólares pelo menos em juros da dívida”.

Segundo Guedes, o plano econômico de Bolsonaro também prevê uma reforma do Estado e uma simplificação e redução de impostos.