Brasil segue entre oito países com os maiores juros reais do mundo

O BC anunciou na noite desta quarta-feira (18) um corte de 0,5 ponto percentual na Selic, que passou para 5,5% ao ano

São Paulo — Mesmo após o segundo corte seguido na Selic, — anunciado na noite de quarta-feira (18) pelo Banco Central (BC) — o Brasil segue entre os oito países com os maiores juros reais do mundo (veja no ranking abaixo).

A autoridade monetária brasileira cortou a Selic em 0,5 ponto percentual, de 6% para 5,5% ao ano. O primeiro corte, anunciado em julho, foi do mesmo tamanho.

Nesse patamar, o Brasil fica com uma taxa real de juros de 1,65% ao ano, atrás apenas de sete países: Argentina, México, Indonésia, Índia, Turquia, Rússia e Malásia.

A lista dos maiores juros reais do mundo é divulgada a cada reunião do Copom pelo site MoneYou em parceria com a Infinity Asset Management.

A taxa de juros reais é calculada com os juros nominais menos a inflação projetada para os próximos 12 meses.

Vale ressaltar que mais da metade dos países do ranking têm juros negativos. Os últimos lugares são ocupados por Hungria, Holanda e Reino Unido.

A média geral é de 0,03% por ano, menor do que os 0,31% do último ranking. A queda é explicada pelo movimento de afrouxamento monetário que acontece em boa parte do mundo.

Juros reais anuais nas 40 principais economias do mundo