Brasil perde liderança, mas ainda é um dos campeões em juro real

País perdeu o primeiro lugar para a Rússia, após um aumento no juro real daquele país

São Paulo – O Brasil não é mais campeão mundial em juro real. O país foi ultrapassado pela Rússia, onde o juro real passou de 3,4% em março para 4,2%, taxa igual a registrada pelo Brasil em março. 

Com a redução de 0,75 ponto percentual na taxa básica de juros brasileira, anunciada hoje pelo Copom, o Brasil assumiu o segundo lugar entre as 40 nações observadas no levantamento do estrategista-sênior da corretora do Banco Cruzeiro do Sul, Jason Vieira.

Com a Selic anunciada hoje, a taxa brasileira, descontada a inflação projetada para os próximos 12 meses é de 3,4%. A média dos 40 países pesquisados é de 0,6% negativo. O número é atribuido à crise internacional, que levou mais da metade dos países do levantamento a adotarem taxas de juros negativas. 

Os juros altos são um atrativo para o capital especulativo, que, em grande quantidade no país, pode favorecer a valorização do real perante o dólar e, consequentemente, a desindustrialização, segundo Carlos Honorato, economista da FIA. 

Veja a tabela com os juros reais nos 40 países:

  País taxa real
1 Rússia 4,2% 
2 Brasil 3,4%
3 China 2,9%
4 Colômbia 1,8%
5 Indonésia 1,7%
6 Hungria 1,4%
7 Filipinas 1,4%
8 Chile 1,2%
9 Austrália 1,1%
10 Suíça 1,0%
11 Malásia 0,8%
12 México 0,7%
13 Taiwan 0,7%
14 Israel 0,6%
15 Coréia do Sul 0,6%
16 Índia 0,4%
17 Polônia 0,2%
18 Suécia 0,0%
19 Japão -0,2%
20 Tailândia -0,4%
21 África do Sul -0,6%
22 Grécia -0,7%
23 Argentina -0,7%
24 Espanha -0,9%
25 Alemanha -1,1%
26 França -1,3%
27 Áustria -1,4%
28 Holanda -1,5%
29 Canadá -1,6%
30 Dinamarca -1,9%
31 Portugal -2,0%
32 Itália -2,2%
33 Bélgica -2,3%
34 Estados Unidos -2,4%
35 Inglaterra -2,9%
36 República Tcheca -2,9%
37 Hong Kong -4,0%
38 Turquia -4,2%
39 Cingapura -4,4%
40 Venezuela -6,9%
  média dos 40 países  -0,6%