Brasil não terá indústria como carro-chefe, diz Abílio

Diniz acredita que, hoje, a vocação do país está muito mais centrada em setores como o agronegócio e comércio e serviços

São Paulo – O Brasil perdeu o momento de ter uma indústria forte, capaz de liderar o seu crescimento econômico, disse nesta quarta-feira, 27, o presidente do Conselho de Administração da BRF, Abilio Diniz, durante sua participação no 17º Fórum de Varejo da América Latina.

Diniz afirma acreditar que, hoje, a vocação do país está muito mais centrada em setores como o agronegócio e comércio e serviços.

“Temos de ter uma indústria forte, claro, mas ela não vai ser o carro-chefe da economia brasileira, perdemos o timing para isso”, afirmou. Segundo o executivo, nos últimos anos o setor industrial perdeu participação significativa no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro.

Apesar de descartar uma possível liderança do setor na economia, Diniz considerou importante reforçar o papel da indústria.