Brasil exporta em junho menor volume de carne bovina para o mês em 15 anos

As exportações brasileiras de carne bovina totalizaram 54.390 toneladas no mês passado, 45,4 por cento menos na comparação anual

São Paulo – Os protestos de caminhoneiros em maio, que obstruíram o tráfego nas principais rodovias do Brasil, e as proibições comerciais sobre a carne bovina do país levaram as exportações brasileiras da proteína a cair em junho ao menor nível para o mês em 15 anos, disse nesta quinta-feira a INTL FCStone, citando dados do governo.

As exportações brasileiras de carne bovina totalizaram 54.390 toneladas no mês passado, 45,4 por cento menos na comparação anual.

A greve de 11 dias dos caminhoneiros e incertezas em relação aos preços de fretes depois das paralisações contribuíram para a queda, destacou a INTL FCStone.

“A contração observada nas exportações decorre principalmente das dificuldades de recomposição da produção enfrentadas pelo setor desde a greve dos caminhoneiros entre o final de maio e início do último mês”, disse a INTL FCStone. A greve dos caminhoneiros teve impacto nos embarques de carnes congeladas nos portos e interrompeu a entrega de animais para abate, disse a consultoria.

Isso levou o setor “a um período de estagnação da produção, diminuindo a oferta no mercado interno”, acrescentou.

Os custos de frete domésticos subiram após a imposição de preços mínimos pelo governo como uma das medidas para acabar com os protestos.

Dúvidas relacionadas aos preços de frete reduziram o fornecimento de ração, que já tinha sido abalado por uma alta de 20,5 por cento no preço do milho depois que uma seca prejudicou a safra em importantes Estados produtores, disse a consultoria.

“O setor exportador brasileiro ainda aguarda uma retomada das compras de carne bovina in natura por parte da Rússia, que já foi a principal importadora da produção nacional”, disse a INTL FCStone.

As exportações de carne bovina brasileiras para a Rússia foram proibidas no fim do ano passado, destacou a consultoria.