Brasil e Índia ratificam meta comercial em 2015

Para conseguir esse objetivo, a atual troca entre as duas potências emergentes deverá aumentar 50%, após ter somado US$ 10 bilhões em 2012

Brasília – O ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, recebeu nesta terça-feira o chanceler indiano, Salman Khurshid, com quem ratificou a meta para que o comércio entre os países chegue a US$ 15 bilhões em 2015.

“Pedimos aos empresários um maior esforço e envolvimento nos esforços governamentais”, declarou Khurshid em entrevista coletiva junto com Figueiredo, que ressaltou que se trata de uma meta “possível” e “real”.

Para conseguir esse objetivo, a atual troca entre as duas potências emergentes deverá aumentar 50%, após ter somado US$ 10 bilhões em 2012.

Com esse fim, equipes técnicas dos dois países analisarão as possibilidades que existem em diversos setores da economia, entre os quais o ministro indiano citou a agricultura e a energia, com particular ênfase na área petrolífera.

Khurshid disse que empresas indianas, tanto privadas como públicas, estão interessadas em participar de licitações de jazidas de hidrocarbonetos que serão realizadas no Brasil e, em particular, no pré-sal.

Além disso, os ministros se comprometeram a promover entre os empresários brasileiros e indianos as oportunidades de investimento que os países oferecem e a realizar feiras setoriais conjuntas, a fim de identificar novas oportunidades de negócios e cooperação.


Os ministros também revisaram diversos assuntos da agenda global e do fórum Brics, que os dois países integram junto com Rússia, China e África do Sul.

Nesse sentido, ratificaram que o Brics, como estabeleceu em março na África do Sul, pretende estabelecer os fundamentos do banco de fomento do grupo durante o primeiro trimestre do próximo ano.

Figueiredo disse que essas bases poderiam ser concluídas durante a cúpula que os cinco países realizarão no Brasil, que até agora está prevista para acontecer em Fortaleza em março do ano que vem.

Os ministros lideraram hoje a sexta reunião anual de umas comissões bilaterais que analisaram diversos aspectos das relações nos âmbitos comercial, econômico, cientista, cultural e tecnológico.

No marco dessa reunião, Brasil e Índia assinaram também um acordo para evitar a dupla tributação e outro que estabelece uma maior cooperação no setor judicial.