Brasil e EUA compartilham “preocupação” com crise na Venezuela

País, que enfrenta uma grave crise econômica e o isolamento internacional devido à repressão de dissidentes, foi um dos destaques das discussões bilaterais

Brasil e Estados Unidos compartilharam nesta segunda-feira sua “preocupação” com a “difícil” situação na Venezuela e analisaram o uso da base de lançamento de satélites de Alcântara, no Maranhão, durante a visita do secretário americano da Defesa, Jim Mattis, à Brasília.

Na primeira etapa de uma viagem que o levará ainda à Argentina, Chile e Colômbia, Mattis se reuniu em Brasília com o chanceler Aloysio Nunes e com o ministro da Defesa, general Joaquim Silva e Luna.

A Venezuela, que enfrenta uma grave crise econômica e o isolamento internacional devido à repressão de dissidentes, foi um dos destaques das discussões bilaterais.

“Houve também um tópico referente à preocupação que nós temos sobre como ajudar a Venezuela, que está em uma situação difícil e é um pais da nossa fronteira, revelou o general Silva e Luna ao final da reunião.

“A colocação dos EUA neste aspecto é muito prudente: considera que a solução deve ser liderada pelo Brasil e pergunta sempre como pode ajudar”, disse o general.

Mattis, secretário da Defesa desde o início do governo de Donald Trump, em 2017, não deudeclarações à imprensa.

Silva e Luna informou que durante a reunião se discutiu o uso da base de lançamento de satélites de Alcântara por parte dos Estados Unidos, e que o ministro se mostrou partidário de que os dois países firmem um acordo “o mais rápido possível”, apos ser resolvida a questão das garantias legais e tecnológicas para proteger a propriedade intelectual dos EUA e a soberania brasileira.

Nesta terça-feira, Mattis fará um discurso na Escola Superior de Guerra e visitará o monumento nacional aos membros das Forças Armadas mortos na Segunda Guerra Mundial.