Bolsas europeias fecham em alta, guiadas por indicadores e Reino Unido

No cenário de força da atividade econômica e pressão inflacionária limitada, investidores foram às compras, ainda reagindo à menor tensão entre EUA e China

São Paulo – Os mercados acionários europeus encerraram em alta o pregão desta quinta-feira, 12, em um movimento de recuperação das perdas registradas na sessão anterior, quando a escalada nas tensões comerciais entre Estados Unidos e China fortaleceu a aversão a ativos considerados mais arriscados, como as ações. Com indicadores da economia da região também no radar, o índice pan-europeu Stoxx-600 fechou em alta de 0,78% (+2,97 pontos), para 384,37 pontos.

Na agenda de indicadores, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da Alemanha confirmou o dado preliminar e apresentou avanço de 2,1% na comparação anual de junho, enquanto o CPI da França desapontou as previsões ao subir 2,0% na mesma base comparativa, abaixo do esperado por analistas (+2,1%). Além disso, a produção industrial da zona do euro mostrou crescimento de 1,3% na passagem de abril para maio, acima da previsão de alta de 1,2%.

No cenário de força da atividade econômica e pressão inflacionária limitada, os investidores foram às compras, ainda reagindo à menor tensão entre EUA e China. De acordo com a secretaria do Tesouro americano, Washington não está em uma guerra comercial contra Pequim, mas apenas em disputas comerciais que envolvem alguns setores. Não por acaso, o índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, fechou em alta de 0,61%, aos 12.492,97 pontos, e o índice CAC-40, da Bolsa de Paris, avançou 0,97%, aos 5.405,90 pontos.

Ações do setor bancário, em particular, reagiram à divulgação do Livro Branco, documento divulgado pelo governo do Reino Unido sobre as intenções britânicas para as relações comerciais com a União Europeia após o Brexit. O relatório desagradou a City londrina, que afirmou que o fracasso do governo de Theresa May em garantir um acordo traz risco de fragmentação do mercado financeiro. Na Bolsa de Londres, o índice FTSE-100 fechou em alta de 0,78%, aos 7.651,33 pontos. Mesmo com as críticas, os bancos apresentaram alta: o Lloyds subiu 0,37%, o Barclays avançou 1,09% e o HSBC ganhou 1,36%.

Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 fechou em alta de 0,35%, aos 9.767,40 pontos. Já na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 destoou dos pares europeus e encerrou o dia com perda de 0,05%, aos 5.633,88 pontos.

Veja também