Boehner desiste de exigências sobre teto da dívida

Boehner abandonou um plano sugerido ontem que teria ligado a elevação do limite de endividamento a um corte nos aumentos das pensões militares

São Paulo – O presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, John Boehner, disse a seus colegas republicanos que a Casa votará o aumento do teto da dívida sem emendas ou condições, em uma grande retração da estratégia geralmente utilizada pelo partido nessas negociações.

Boehner abandonou um plano sugerido ontem que teria ligado a elevação do limite de endividamento a um corte nos aumentos das pensões militares.

Depois de consultar membros do partido sobre a proposta, Boehner disse aos seus colegas hoje que não há apoio republicano suficiente e que existe muita incerteza sobre como os democratas votariam nesse caso.

“Os líderes republicanos nos disseram esta manhã que está claro que essa medida não atrairá apoio suficiente, então levaremos um projeto com um aumento ‘limpo’ do teto da dívida à votação”, disse um membro do partido.

“Boehner deixou claro que o partido vai providenciar o número necessário de votos republicanos para a medida.”

A mudança de planos marca uma grande vitória do presidente dos EUA, Barack Obama, e dos democratas do Congresso, que vinham insistindo há tempos que o aumento do teto da dívida deveria ser aprovado sem condições.

A votação do projeto estava prevista para amanhã, mas a liderança da Câmara anunciou há pouco que a votação foi transferida para hoje à noite, a partir das 21h15 (de Brasília). Com informações da Dow Jones Newswires.