Ajudar a Grécia será mais difícil, declara Bélgica

Ministro das Finanças declarou que programa de resgate à Grécia seria mais difícil, independentemente do resultado do plebiscito

Bruxelas – O ministro das Finanças da Bélgica, Johan van Overtveldt, afirmou que um terceiro programa de resgate à Grécia seria muito mais difícil do que programas anteriores, independentemente do resultado do plebiscito deste fim de semana.

“Se quisermos negociar um terceiro programa, será muito mais difícil do que o segundo programa, inevitavelmente… E isso independe da vitória do “sim” ou do “não” no domingo, disse Van Overtveldt.

A Grécia teria de apresentar uma solicitação totalmente nova para programa de resgate porque a parcela da zona do euro no pacote de 245 bilhões de euros expirou no início desta semana, fazendo com que o país deixasse de pagar 1,55 bilhão de euros ao Fundo Monetário Internacional (FMI).

O bloco tinha rejeitado o pedido de Atenas para uma prorrogação de um mês após a Grécia anunciar um plebiscito sobre o plano de austeridade.

“Se nós queremos continuar com a Grécia – e todos do Eurogrupo querem – temos que deixar claro para os gregos que o mundo mudou nas últimas 72 horas”, comentou o ministro.

“O caminho a frente com a Grécia será difícil, mas se o país sair da zona do euro, será uma decisão do governo grego”, acrescentou.