BCE precisa de mais evidências de alta da inflação, diz Praet

Segundo o economista-chefe, as evidências são necessárias antes que se possa reduzir o estímulo monetário

Frankfurt – O Banco Central Europeu (BCE) precisa ver mais evidências de uma aceleração sustentada da inflação antes que possa reduzir seu estímulo monetário, afirmou nesta quarta-feira o economista-chefe do BCE, Peter Praet.

“As pressões inflacionárias ainda dão poucas indicações de tendência convincente de alta uma vez que as pressões domésticas, destacadamente o aumento do salário, permanecem fracas”, disse Praet em conferência.

“No geral, embora estejamos certamente vendo uma recuperação econômica firme, ampla e mais resiliente, ainda precisamos criar uma base de informação suficientemente ampla e sólida para termos a confiança de que a trajetória projetada da inflação é robusta, durável e auto-sustentável”, completou.

Sem o suporte do BCE, o progresso na direção de um ajuste sustentado nas projeções de inflação do banco provavelmente será mais lento ou mesmo irá estagnar, disse Praet.

O Conselho do BCE se reúne em 8 de junho para decidir sobre a política monetária.