BC japonês pode buscar maneiras de frear yields de títulos

Banco do Japão deve manter inalterada a política monetária na próxima semana, apesar de rumores sobre o salto recente nos yields dos bônus

Tóquio – O Banco do Japão, banco central do país, deve manter inalterada a política monetária na próxima semana, apesar de rumores sobre o salto recente nos yields dos bônus, com esperanças de que contenha a volatilidade ao ajustar as operações de mercado.

O banco central pode antecipar as compras de títulos ou oferecer financiamentos através de operações de mercado com mais frequência, caso a turbulência do mercado de títulos persista, que são passos técnicos que podem ser tomados pelos membros do banco sem a aprovação dos nove membros da Diretoria.

O BC japonês deve manter a política frouxa através de mais aumentos nas compras de ativos, tendo já prometido em abril dobrar a quantidade de títulos que detém em dois anos. O objetivo é expandir o fornecimento de dinheiro em ritmo anual de 60 trilhões de ienes (588 bilhões de dólares) para 70 trilhões de ienes.

“O Banco do Japão está andando em um caminho bem estreito, tentando arquitetar uma gradual, mas não repentina, alta nas taxas de longo prazo sustentada por melhoras na economia”, disse uma autoridade familiarizada com o modo de pensar do banco.

O BC japonês anunciou o impulso mais intenso de estímulo monetário do mundo no mês passado, ao prometer injetar 1,4 trilhão de dólares na economia em menos de dois anos para cumprir a promessa de atingir 2 por certo de inflação em aproximadamente dois anos.

Mas a intensidade das compras do Banco do Japão causou distúrbios no mercado ao secar a liquidez. Isso fez os preços de títulos da dívida vulneráveis a oscilações acentuadas, o que pode levar a vendas generalizadas prejudiciais e difíceis de controlar.

O ritmo das quedas de títulos e a enorme volatilidade deixaram alguns membros do BC ansiosos, mas não o suficiente para fazê-los considerar medidas adicionais de política monetária na reunião da próxima semana.

A economia do Japão expandiu em taxa anualizada de 3,5 por cento no primeiro trimestre, a mais veloz em um ano, oferecendo evidências de que o vasto estímulo do primeiro-ministro, Shinzo Abe, está começando a funcionar.