Bancos fecham janeiro vendidos em US$ 24,424 bilhões, diz BC

Os bancos mantiveram a posição vendida pelo 18º mês consecutivo

Brasília – Mesmo com a mudança de patamar do dólar, vista com mais nitidez desde o segundo semestre do ano passado, os bancos mantiveram a posição vendida pelo 18º mês consecutivo, somando a quantia significativa de US$ 24,424 bilhões em janeiro.

Em dezembro, havia ficado em US$ 28,261 bilhões, o maior volume da série histórica iniciada em janeiro de 1994 pelo Banco Central, que divulgou os dados nesta quarta-feira, 04.

O resultado de janeiro é o segundo maior para esse tipo de posição da série do BC. Até então, o maior valor dessa posição havia sido em agosto passado (US$ 18,826 bilhões).

A posição vendida em novembro estava em US$ 13,985 bilhões; em outubro, em US$ 10,189 bilhões, e, em setembro, em US$ 17,163 bilhões.

No jargão financeiro, estar “comprado” significa, na maioria das vezes, que o mercado fez hedge de passivo cambial. A posição também pode estar atrelada à expectativa de que a cotação do dólar vai subir porque, ao ter a moeda em caixa, é possível lucrar com uma eventual alta das cotações.

Já “estar vendido” representa previsão de queda da cotação da moeda ou que se acredita que os juros internos serão mais elevados do que a valorização do dólar em determinado período. Para se ter uma referência, a taxa básica Selic está atualmente em 12,25% ao ano e a previsão do mercado financeiro é de que uma nova alta seja vista no início de março.