BC da Argentina aprova medidas para estimular poupança

Entre as medidas figura uma taxa mínima de 23% para depósitos a prazo fixo e o aumento dos 120 mil pesos atuais a 350 mil pesos da cobertura de garantia

Buenos Aires – O Banco Central da República Argentina aprovou nesta sexta-feira medidas destinadas a “estimular a poupança em moeda nacional”, entre as quais figura uma taxa mínima de 23% para os depósitos a prazo fixo e o aumento dos 120 mil pesos atuais a 350 mil pesos da cobertura de garantia dos mesmos.

Por meio de um comunicado, o Banco Central anunciou que resolveu “estabelecer um piso à taxa de depósitos a prazo fixo que realizem indivíduos em pesos, quando a quantia não supere a cobertura do seguro de garantia dos depósitos”.

Segundo a entidade bancária, a taxa mínima será pelo menos de 87% das taxas das Letras do Banco Central (Lebac), hoje estabelecidas em 27% anual.

“Até agora, essa taxa de juros era fixada livremente pelos bancos. A medida entrará em vigência a partir do dia 8 do mês corrente”, acrescentou o comunicado.

Trata-se da primeira medida de Alejandro Vanoli como presidente do Banco Central, após a renúncia de Juan Carlos Fábrega na última quarta-feira.