Atividade fraca e desonerações explicam arrecadação ruim

Os dados do Fisco mostram uma queda de 2,58% no IRPJ e na CSLL em relação ao mesmo período de 2013

Brasília – O baixo desempenho da atividade econômica, a queda na arrecadação dos tributos vinculados ao lucro das empresas e o aumento das desonerações tributárias explicam o resultado ruim da arrecadação de janeiro a novembro, segundo o relatório divulgado nesta segunda-feira, 22, pela Receita Federal.

Os dados do Fisco mostram uma queda de 2,58% no IRPJ e na CSLL em relação ao mesmo período de 2013.

A PIS e Cofins tiveram retração de 2,82% enquanto que o Imposto de Importação e o IPI vinculado às importações caíram 5,72%. O

IOF registra um recuo de 3,86% no período. O Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) caiu 0,43%.

Com a recuperação parcial de algumas alíquotas, a arrecadação de IPI esse ano foi 5,21% maior que de janeiro a novembro de 2013.

As receitas previdenciárias cresceram 1,81% no ano.

Refis

A arrecadação com o Refis (programa de refinanciamento de dívidas) somou R$ 8,146 bilhões em novembro – R$ 14,624 bilhões a menos que no mesmo mês do ano passado, quando o governo arrecadou R$ 22,770 bilhões com o Refis da Crise.

Para novembro desse ano, houve um reforço de caixa porque acabou o prazo para que as empresas quitem parcelamentos em andamento usando a base de cálculo negativa da CSLL, desde que paguem 30% do valor do débito em dinheiro