Atividade de serviços da China tem máxima de 14 meses em março, mostra PMI

Analistas alertaram que é cedo demais para dizer se a economia chinesa melhorou, com muitas empresas cautelosas sobre 2020

Pequim — A atividade no setor de serviços da China acelerou para a máxima de 14 meses em março uma vez que a demanda melhorou tanto no país quanto no exterior, mostrou nesta quarta-feira, 3, a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) do Caixin/Markit.

Mas analistas alertaram que é cedo demais para dizer se a economia da China melhorou, com muitas empresas cautelosas sobre se haverá muita melhora em um ano.

O PMI de serviços do Caixin/Markit subiu a 54,4, nível mais alto desde janeiro de 2018 e ante 51,1 em fevereiro, mínima de quatro meses. A marca de 50 separa crescimento de contração.

Veja também

Os entrevistados disseram que a atividade foi impulsionada pela demanda mais forte, novas políticas estatais e acesso melhor a financiamento.

O resultado ficou em linha com o do PMI oficial de serviços divulgado no domingo, que mostrou que a atividade do setor acelerou em março devido ao crescimento das novas encomendas. O PMI de serviços do Caixin/Markit mostrou que as encomendas totais subiram para a máxima de 14 meses, com crescimento sólido nas vendas de exportação para fornecedores de serviços chineses.

A confiança das empresas avançou, mas permaneceu mais fraca do que a tendência de longo prazo. Apenas 18 por cento dos entrevistados esperam que a atividade empresarial será maior em um ano. O PMI Composto do Caixin, também divulgado nesta quarta-feira, acelerou para a máxima de nove meses de 52,9 em março de 50,7em fevereiro.