Após reunião do G-7, Lew pede acordo para a Grécia

Secretário americano pediu que a Grécia e seus credores rompam o impasse para liberar uma nova parcela para o país e, assim, evitar uma escalada da crise

Dresden – O secretário do Tesouro dos EUA, Jacob Lew, alertou que a saída da Grécia da zona do euro não seria do interesse da Europa e da economia global e pediu que os credores internacionais e o governo grego encontrem uma solução “construtiva e pragmática” para a crise financeira do país.

“Seria do interesse de todos alcançar um entendimento em nível geral e deixar algum tempo para se trabalhar”, disse Lew em entrevista à imprensa após a reunião de ministros de Finanças e presidentes de bancos centrais dos países do G-7, em Dresden, Alemanha.

“Esperar até um dia ou dois antes de qualquer prazo final pode provocar um acidente”, acrescentou.

“Em algum momento a Grécia não conseguirá pagar suas contas e nesse momento, se ele chegar, haverá um acidente. Se quisermos evitar isso, é melhor haver uma conversa séria o quanto antes”, declarou o secretário norte-americano.

Antes da reunião do G-7 e durante ela, Lew pediu que a Grécia e seus credores rompam o impasse para liberar uma nova parcela, de 7,2 bilhões de euros, para o país e, assim, evitar uma escalada da crise.

O ministro de Finanças da Alemanha, Wolfgang Schäuble, que sediou o encontro do G-7, disse mais cedo que a questão da Grécia foi discutida apenas por alguns minutos.

No entanto, Lew afirmou que houve “bastante conversa sobre a Grécia, algumas durante a reunião formal e algumas nos bastidores”.

Com relação à análise do G-7 sobre o desempenho das economias avançadas, Lew comentou que a demanda precisa ser estimulada.

“Existe uma visão ampla de que os países precisam tomar medidas abrangentes para impulsionar a economia”, disse. “Eu enfatizei a necessidade de mais demanda, especialmente em países com grandes superávits em conta corrente.” Fonte: Dow Jones Newswires.