Apesar de queda no último trimestre, economia alemã cresce 3% em 2011

O mau resultado do PIB alemão no último trimestre foi causado pelo retrocesso do comércio exterior e a diminuição do consumo

Berlim – A economia da Alemanha encolheu 0,2% no último trimestre de 2011, mas ainda assim cresceu 3% em todo o ano, anunciou nesta sexta-feira o Escritório Federal de Estatística (Destatis), confirmando os prognósticos lançados em 15 de fevereiro.

Em seu relatório definitivo sobre o ano passado, os técnicos da instituição sublinham que em 2011 o déficit do Estado caiu a 1% do Produto Interno Bruto (PIB), com o que o país cumpre com sobras os critérios do pacto de estabilidade da União Europeia.

O déficit foi a 25,8 bilhões de euros, quase 1 bilhão menos que o calculado em suas primeiras estimativas, feitas em janeiro.

O Destatis também confirmou que a contração de 0,2% no último trimestre de 2011, que fora prevista por especialistas de todos os institutos de estudos econômicos, foi menor que a esperada.

O organismo ressaltou ainda que o PIB alemão subiu 1,5% no último trimestre de 2011 frente ao mesmo período de 2010.

Além disso, reiterou que a economia alemã registrou em 2011 um crescimento de 3% na comparação com 2010, confirmando assim as estimativas de janeiro e os dados provisórios de meados de fevereiro.

O Destatis destacou que, embora o crescimento da economia alemã tenha desacelerado, todos os trimestres de 2011 registraram alta na comparação com o ano anterior.

O mau resultado do PIB alemão no último trimestre foi causado pelo retrocesso do comércio exterior e a diminuição do consumo, enquanto os investimentos no setor da construção foram maiores que os do período imediatamente anterior.