Apesar da queda dos juros, Brasil segue líder disparado do ranking mundial

Levantamento da Cruzeiro do Sul Corretora mostra que o juro real no Brasil é mais que o dobro da taxa praticada pelo segundo colocado

São Paulo – Embora surpreendente, a decisão do Banco Central de cortar a Selic em meio ponto percentual não retira o Brasil do incômodo primeiro lugar do ranking mundial de juros reais.

Nesta quarta-feira, o Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu, por 5 votos a 2, reduzir os juros básicos da economia de 12,50% para 12% ao ano.

Levantamento feito pelo estrategista-sênior da Cruzeiro do Sul Corretora, Jason Vieira, mostra que a taxa brasileira, descontada a inflação futura, é de 6,22%.

Com esse patamar, o Brasil é o líder disparado do ranking – a taxa é mais que o dobro da praticada pela Hungria, a segunda colocada (veja tabela abaixo).

É possível observar também que, por causa da crise internacional, vários países estão com juro real negativo. A média dos 40 países pesquisados é de -0,8%.

Posição País Taxa real
Fonte: Cruzeiro do Sul Corretora
Brasil 6,22%
Hungria 2,8%
Chile 2,3%
Indonésia 2,0%
Austrália 1,1%
Colômbia 1,0%
México 0,9%
Taiwan 0,5%
Polônia 0,4%
10º África do Sul 0,2%
11º China 0,1%
12º Malásia -0,1%
13º Japão -0,1%
14º Israel -0,2%
15º França -0,4%
16º Suíça -0,5%
17º Turquia -0,5%
18º         Tailândia -0,6%
19º Filipinas -0,6%
20º Argentina -0,6%
21º Rússia -0,7%
22º Alemanha -0,8%
23º Grécia -0,9%
24º Holanda -1,1%
25º Itália -1,2%
26º Suécia -1,3%
27º Espanha -1,4%
28º Coreia do Sul -1,4%
29º Índia -1,5%
30º Dinamarca -1,6%
31º Portugal -1,6%
32º Canadá -1,7%
33º República Tcheca -1,9%
34º Bélgica -2,0%
35º Áustria -2,2%
36º Estados Unidos -3,2%
37º Inglaterra -3,7%
38º Cingapura -5,1%
39º Venezuela -6,5%
40º Hong Kong -6,9%
Média dos 40 países -0,8%