ANP eleva preços para subsídio ao diesel em parte do país; Petrobras segue

Com a mudança, a Petrobras elevou o preço de venda do seu diesel na refinaria em 0,728 por cento, para uma média de 1,8115 reais por litro

São Paulo – Os preços de comercialização de óleo diesel no país instituídos dentro do programa de subsídio ao combustível vão subir cerca de 1,8 por cento no período de 16 a 31 de dezembro, ante a primeira parte do mês, nos estados do Sul, Sudeste e Centro-Oeste, publicou nesta sexta-feira, 14, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Periodicamente, o programa instituído pelo governo após os protestos dos caminhoneiros tem novos preços de comercialização nos quais se baseiam os subsídios. Os critérios para a definição dos valores levam em conta o câmbio e a cotação do petróleo, entre outros fatores.

A variação no preço de comercialização influencia a cotação definida pela Petrobras, uma vez que a empresa e outras participantes do programa precisam seguir as referências da ANP para receber os subsídios.

Com a mudança, a Petrobras elevou o preço de venda do seu diesel na refinaria em 0,728 por cento, para uma média de 1,8115 reais por litro.

A alta do diesel da Petrobras, que reflete uma média de todas as regiões do país, ocorreu apesar de uma redução definida pela a ANP na referência para o Norte e Nordeste.

Para os Estados do Nordeste, incluindo Tocantins, o preço de comercialização no programa de subsídio foi reduzido em 1,13 por cento. Para os do Norte, excluindo Tocantins, a valor caiu 2,42 por cento.

No Sudeste, a cotação será elevada 1,84 por cento, para 1,8524 por litro.

No Sul, o aumento será de 1,80 por cento, para 1,8355 reais por litro, enquanto no Centro-Oeste a alta será de 1,76 por cento, para 1,9341 reais.

O programa de subsídios ao diesel está previsto para acabar ao final deste ano.