Alta do IPCA em 12 meses é a maior desde junho de 2005

A alta foi de 0,37% na inflação do mês, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Rio de Janeiro – Seis entre os nove grupos que compõem o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) registraram aceleração de preços na passagem de julho para agosto, contribuindo para a alta de 0,37% na inflação do mês, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No acumulado de 12 meses, o índice atingiu alta de 7,23%, a maior variação neste critério desde junho de 2005, quando ficou em 7,27%. O resultado de 12 meses se afasta ainda mais do teto da meta do governo para a inflação em 2011, de 6,5%.

Em agosto, aceleraram os preços de Habitação (de 0,27% em julho para 0,32% em agosto), especialmente do aluguel residencial (de 0,46% para 1,06%), item que exerceu o segundo maior impacto no mês no IPCA (0,03 ponto porcentual), e da taxa de água e esgoto (de 0,33% para 1,05%), que se deve ao reajuste de 8,80% ocorrido em 1º de agosto nas tarifas do Rio de Janeiro (7,62%) e de 7,21% nas de Porto Alegre (0,23%), vigente desde 1º de julho.

Já a alta dos eletrodomésticos (de -0,32% para 2,38%), com destaque para refrigerador (de -0,29% para 3,29%) e máquina de lavar (de -1,58% para 3,18%), influenciaram o resultado do grupo Artigos de Residência (de 0,03% para 0,57%). Os artigos de Vestuário (de 0,10% para 0,67%) também contribuíram para a maior taxa de agosto do IPCA, com destaque para roupas femininas (de -0,26% para 1,18%) e masculinas (de 0,19% para 0,75%), refletindo o fim das promoções de inverno e a entrada da coleção primavera-verão.

Os salários dos empregados domésticos (de 1,26% para 0,72%), embora tenham continuado em alta, subiram menos que no mês anterior. Mesmo assim, o grupo das Despesas Pessoais (de 0,49% para 0,50%) apresentou resultado muito próximo ao do mês anterior, já que outros itens mostraram alta, como os serviços de cabeleireiros (de -1,10% para 0,97%).

O grupo Educação teve pequena alta (de 0,11% para 0,17%). Os colégios variaram 0,11%, enquanto os cursos diversos (informática, idioma, etc.) apresentaram alta de 0,91%. O grupo Alimentação e Bebidas também teve aumento de preços, passando de uma queda de 0,34% em julho para uma alta de 0,72% em agosto. Por outro lado, caíram os preços de Transportes (de 0,46% para -0,11%) e Comunicação (de -0,04% para -0,06%). O grupo Saúde e Cuidados Pessoais registrou desaceleração de 0,47% para 0,43%.