Aliados não descartam novo imposto para financiar saúde

A votação da proposta está prevista para o dia 28 de setembro

Brasília – Em almoço com a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, líderes de partidos aliados discutiram proposta para aumentar o repasse de recursos para a área da saúde. Uma das propostas é aumentar o valor e o repasse de impostos já existentes, como o DPVAT (seguro obrigatório pago pelos carros). Outra ideia é a taxação de jogos como bingo e o aumento de repasse dos recursos oriundos da exploração do pré-sal (os royalties do petróleo) para a Saúde.

Os líderes não descartam, no entanto, a criação de um novo imposto, a CSS (Contribuição Social para a Saúde). Esse imposto é semelhante à extinta Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). “Precisamos de uma fonte extra. Eu não diria que a CSS está fora da mesa”, admitiu o líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP). “Eu, como deputado e não como líder, defendo a CSS. Precisamos parar de demonizar”, completou o líder.

O aumento de recursos para a Saúde está previsto na regulamentação da Emenda 29, que define gastos da União, dos Estados e municípios para a Saúde. A votação da proposta está prevista para o dia 28 de setembro. “Até esse dia, acho bom o governo ter uma proposta e construir uma alternativa”, observou Vaccarezza. A ideia é reunir os governadores de Estado para discutir alternativas de financiamento da Saúde.