Alemanha aprova primeiras contas em 40 anos com déficit zero

Conselho de ministros aprovou minuta dos orçamentos federais para 2015, os primeiros que atingiram déficit zero em 40 anos

Berlim - O conselho de ministros da <strong><a href="http://www.exame.com.br/topicos/alemanha">Alemanha</a></strong> aprovou nesta quarta-feira a minuta dos orçamentos federais para 2015, os primeiros que atingiram "déficit zero" em mais de quatro décadas.</p>

O governo informou em comunicado que também aprovou o plano financeiro para o período 2016-2018, nos quais também não há previsão de déficit, cumprindo a contenção da dívida introduzida na constituição alemã em 2009.

As contas federais – que não incluem os orçamentos dos “Länder”, dos municípios e da seguridade social – destinam 23 bilhões de euros nos próximos quatro anos às “prioridades” da grande coalizão de democratas-cristãos e social-democratas que governa em Berlim.

Serão destinados 6 bilhões de euros para o cofinanciamento de colégios e creches (competências locais), 5 bilhões para melhorias em infraestruturas e 3 bilhões para pesquisa e desenvolvimento.

O equilíbrio financeiro das contas públicas alemãs será alcançado no ano que vem graças à contenção de despesas, que está prevista que só aumentará 1% em 2015 em relação ao ano anterior.

Nos anos posteriores, a despesa será maior: 3,7% em 2016 e em torno de 3% tanto em 2017 como em 2018, segundo o plano levado hoje a conselho de ministros pelo titular da pasta de Finanças, Wolfgang Schäuble.

A previsão de Berlim é que as receitas do governo alemão via impostos continuem a crescer nos próximos anos, até chegar a 311,8 bilhões de euros em 2018.