Alcolumbre diz que reforma da Previdência pode ir à CCJ já nesta quinta

Presidente do Senado também admitiu a apresentação de uma PEC paralela, que aproveitaria o texto aprovado pela Câmara e incluiria outros pontos na proposta

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, afirmou que assim que receber a proposta de reforma da Previdência (PEC 6/2019) da Câmara dos Deputados a matéria será encaminhada à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). A expectativa é que o texto, cuja votação em segundo turno foi concluída nesta quarta-feira (7) pelos deputados, seja encaminhada ao Senado nesta quinta-feira (8).

Segundo o presidente, a ideia é que a presidente da CCJ, senadora Simone Tebet (MDB-MS), e o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) — que deve ser o relator da matéria —, acertem um cronograma mínimo de debates sobre a reforma. Davi disse que os líderes de todos os partidos terão direito a sugerir audiências e debates e opinar sobre o calendário da tramitação da reforma, sempre respeitando o Regimento Interno.

— Não é bom estabelecer um prazo, mas dentro desse cronograma teremos entre 45 e 65 dias para debater a matéria — declarou Davi, ao fim da ordem do dia desta quarta-feira (7).

O presidente também admitiu a apresentação de uma PEC paralela, que aproveitaria o texto aprovado pela Câmara dos Deputados e incluiria outros pontos na reforma da Previdência.

— Essa PEC paralela se daria a partir de um destaque apresentado em Plenário. O Senado está comprometido em fazer uma reforma única, que atenda União, estados e municípios — explicou.

Em seu perfil na rede social Twitter, Davi Alcolumbre também disse que o encaminhamento à CCJ será imediato.

LDO e CPI

O presidente Davi Alcolumbre ainda sinalizou que a votação do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) pode ocorrer na próxima semana. Ele disse que vai tratar do assunto com o senador Marcelo Castro (MDB-PI), presidente da Comissão Mista de Orçamento (CMO).

Davi também afirmou que na próxima semana deve ocorrer a decisão sobre a presidência e a relatoria da CPMI das Fake News. Segundo o presidente, o Senado deve ficar com a presidência, deixando a relatoria com a Câmara. Davi ainda prometeu avaliar o pedido do senador Jorge Kajuru (PSB-GO) por uma CPI das confederações esportivas.

Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro parabenizou o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o parlamento pela aprovação da reforma da Previdência na Câmara. A votação da proposta foi concluída na quarta-feira, 7. Ao deixar o Palácio da Alvorada, nesta quinta-feira, 8, Bolsonaro afirmou que “ganhar de um a zero ou de dez a zero é a mesma coisa”.

“Se o Palmeiras ganhar do Bahia domingo de um a zero estou satisfeito. Dez a zero e um a zero é a mesma coisa, um a zero está bom”, declarou Bolsonaro ao perguntar se estava satisfeito com o resultado da votação na Câmara.

“Parabéns ao Rodrigo Maia, ao parlamento, pela responsabilidade de votar um tema que traz de certa forma um prejuízo político”, afirmou o presidente, pontuando que “futuro do Brasil é que está em jogo” na elaboração da reforma.