Acordo facilitará exportações de máquinas para Argentina

O acordo foi assinado hoje pelo presidente do BNDES, Luciano Coutinho, e pelo presidente do banco argentino, Gustavo Marangoni

Rio de Janeiro – O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Banco de la Província de Buenos Aires assinaram nesta segunda-feira um acordo que facilitará as exportações de máquinas e equipamentos brasileiros à Argentina, informaram nesta segunda-feira fontes oficiais.

O acordo foi assinado hoje pelo presidente do BNDES, Luciano Coutinho, e pelo presidente do banco argentino, Gustavo Marangoni, segundo comunicado do BNDES.

O acordo prevê uma linha de crédito do BNDES de US$ 20 milhões (R$ 40,75 milhões) para que o a instituição argentina financie os importadores do país que comprarem máquinas e equipamentos procedentes do Brasil.

O BNDES, no entanto, desembolsará os recursos em reais e vai transferi-los aos exportadores no Brasil depois que suas mercadorias forem enviadas para a Argentina.

A operação evita a remessa de recursos para o exterior e os custos dessas operações em transações cambiais.

Apesar dos recursos serem oferecidos pelo banco brasileiro, o banco argentino atuará como banco credenciado pelo BNDES, e assumirá o risco do crédito ao importador argentino.

”A associação entre o BNDES e o Banco de la Província de Buenos Aires proporcionará um importante instrumento de fomento do comércio entre Brasil e Argentina, assim como a prospecção de novas oportunidades de cooperação financeira entre as duas instituições”, segundo o comunicado do banco brasileiro.

Os recursos para esta operação são de uma linha de crédito conhecida como BNDES Exim Automático, criada pelo banco brasileiro em 2010 para, mediante a concessão de crédito para bancos no exterior, facilitar as exportações de produtos brasileiros de alto valor agregado, principalmente máquinas e equipamentos.

O BNDES já tem acordos com 18 bancos da Argentina, Chile, Colômbia, Estados Unidos, Honduras, Ilhas Cayman, Panamá, Paraguai, Peru e Uruguai para oferecer créditos por cerca de US$ 800 milhões a empresas desses países que importem máquinas e equipamentos brasileiros.

Através desta rede de instituições financeiras no exterior já foram realizadas 50 operações com 16 bancos em seis países, para oferecer crédito a importadores com prazo médio de até cinco anos.