Abras admite revisão no crescimento de vendas para 2015

A associação que representa o setor de supermercados admitiu possível revisão na estimativa de crescimento de vendas do próximo ano

São Paulo – A associação que representa o setor de supermercados, Abras, admitiu nesta segunda-feira possível revisão na estimativa de crescimento de vendas para 2015, na esteira de sinalização do governo federal com ajustes na economia e maior rigor fiscal.

Em setembro, a entidade divulgou projeção de alta de 2,5 por cento nas vendas deflacionadas nesses estabelecimentos no ano que vem.

Segundo o presidente do conselho consultivo da Abras, Sussumu Honda, a avaliação é de que a previsão parece “um pouco elevada” e “bem otimista” no momento. A associação deverá anunciar um número mais preciso em janeiro.

No acumulado de 2014 até novembro, as vendas reais dos supermercados no Brasil avançaram 2,16 por cento sobre um ano antes, com a Abras mostrando certo otimismo em relação ao desempenho.

Nesta segunda-feira, Honda afirmou que “2014 vem se confirmando como um ano de bons resultados para o setor supermercadista, que responde, no Brasil, por cerca de 84 por cento do abastecimento de alimentos, bebidas, itens de limpeza, beleza e afins”.

O posicionamento contrasta com previsão feita em agosto de que o setor cresceria 1,9 por cento em 2014, ante projeção anterior de 3 por cento, após um modesto desempenho no primeiro semestre e expectativa frustrada de impulso das vendas com a Copa do Mundo.

“O segundo semestre do ano passado havia sido mais forte do que o primeiro, por isso a perspectiva era de que no confronto com segundo semestre deste ano a gente teria mais dificuldades”, afirmou Honda, acrescentando que a entidade decidiu ser bem conservadora pois as projeções para a economia como um todo vinham piorando.

Ainda assim, o avanço do resultado no acumulado do ano segue distante do observado no mesmo período de 2013, quando as vendas reais nos supermercados subiram 5,65 por cento de janeiro a novembro.

No mês de novembro, somente, as vendas reais dos supermercados no país subiram 2,94 por cento ante igual mês do ano passado, com alta de 1,42 por cento sobre outubro.

Cesta

O preço da cesta AbrasMercado, que conta com 35 produtos de amplo consumo pesquisados pela GfK, subiu 2,15 por cento sobre o mês anterior, a 378,23 reais. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, o crescimento foi de 5,11 por cento.

As maiores altas na comparação com outubro foram da batata (+68,58 por cento), pernil (+5,20 por cento) e carne traseiro (+4,73 por cento). As maiores baixas ocorreram em leite longa vida (-5,91 por cento), ovo (-3,22 por cento) e feijão (-1,82 por cento).