Abimaq divulga faturamento 5,5% menor em agosto

Os preços de máquinas e equipamentos estão crescendo menos que a variação dos custos, o que reduz as margens do setor, explicou a associação

São Paulo – A Abimaq registrou um faturamento bruto de R$ 5,379 bilhões em agosto, valor 5,5% inferior ao de julho.

O número também é 28,7% menor do registrado no mesmo mês do ano passado.

No acumulado do ano, a queda é de 16,6% na comparação com 2013, e a Abimaq ressaltou que as vendas para o mercado interno estão 32,1% mais fracas neste ano.

O consumo aparente mensal também registrou queda, recuando para R$ 7,982 bilhões em agosto. Esse resultado é 9,1% menor que o de julho e 28,5% abaixo daquele visto em agosto de 2013.

No acumulado do ano, o consumo aparente está 16,6% menor, aos R$ 70,841 bilhões. Quando se elimina a variação cambial, a queda aumenta para 21,1%.

Além disso, os preços de máquinas e equipamentos estão crescendo menos que a variação dos custos, o que reduz as margens do setor, explicou a associação.

O índice de preços ao produtor neste ano registra deflação de 1,5%, enquanto o índice de preços ao consumidor amplo (IPCA) acelera 4,0%, afirmou a Abimaq.

“A apreciação do real nos últimos meses e um mercado anêmico ajudam a explicar o comportamento dos preços”, acrescentou.

A balança comercial mais uma vez registrou déficit. Em agosto, o saldo negativo foi de US$ 1,101 bilhão, embora esse número seja 16,6% menor que o déficit registrado em julho.

O saldo negativo também é 24,7% inferior ao do mesmo período do ano passado.

Em documento de divulgação, a Abimaq explicou que essa queda no déficit foi basicamente causada por um volume importado mais fraco.

As importações somaram US$ 2,551 bilhões em agosto, montante 11,8% menor do que aquele observado em julho e 17,2% abaixo do mesmo mês do ano passado.

No acumulado do ano, as importações alcançaram US$ 19,440 bilhões, queda de 10,6% na comparação com os oito primeiros meses de 2013.

Em agosto, as exportações apresentaram uma queda menor, de 6,7% na comparação mensal e de 8,0% na variação anual, somando US$ 1,149 bilhão.

No acumulado do ano, as exportações estão 14,0% maiores, a US$ 9,006 bilhões, e continuam a apresentar o melhor resultado de toda a série histórica, que remonta a 2008.

O faturamento das exportações responde por 45,1% do faturamento total do setor, superando a média histórica, de 32%.

Já o Nuci, que mede o nível de utilização da capacidade instalada na indústria, subiu para 75,5% em agosto, porcentagem 0,2 ponto porcentual maior que em julho. No entanto, a carteira de pedidos de agosto está 0,9% menor que aquela observada em julho.

A Abimaq ainda divulgou que o número de pessoas ocupadas na indústria brasileira de máquinas e equipamentos mecânicos recuou 0,5% em agosto na comparação com julho, caindo para 249.312 pessoas ocupadas.