Via Láctea colidiu violentamente com galáxia anã, diz estudo

Com brilho mínimo em sua superfície, a Antlia 2 foi descoberta graças ao satélite Gaia da Agência Espacial Europeia

São Paulo – Em um estudo publicado pela Universidade de Cornell, nos Estados Unidos, pesquisadores afirmam que as ondulações presentes no disco externo da Via Láctea podem ter sido criadas por meio de uma violenta interação entre a nossa galáxia e uma outra galáxia menor, centenas de milhões de anos atrás. Os cientistas acreditam que essa outra galáxia se chama Antlia 2.

Considerada uma galáxia anã, a Antlia 2 foi descoberta graças ao satélite Gaia da Agência Espacial Europeia. Descrita como um fantasma, ela é extremamente espalhada e fraca para o seu tamanho. Além disso, seu brilho da superfície é mínimo, sendo o menor de todas as galáxias descobertas até agora.

Sukanya Chakrabarti, o autor principal do estudo, fez simulações dinâmicas da nossa galáxia em 2009 e conseguiu prever a localização de uma pequena galáxia, que era dominada pela matéria escura que poderia ter perturbado a Via Láctea. Antlia 2 se encontra perto desse local, por isso Chakrabarti e sua equipe a consideram uma das principais suspeitas da ondulação.

Para Chakrabarti, a Antlia 2 pode servir como um laboratório para aprender mais sobre a natureza da tal matéria escura. “Se Antlia 2 é a galáxia anã que previmos, você sabe qual deveria ser sua órbita. Você sabe que tinha que chegar perto do disco galáctico. Isso estabelece restrições rigorosas, portanto, não apenas sobre a massa, mas também sobre seu perfil de densidade”, disse o professor, em comunicado. 

Atualmente, o observatório espacial de Gaia está desenvolvendo um mapa 3D, que contará com bilhões de estrelas presentes na Via Láctea e em galáxias vizinhas. Por meio deste, os pesquisadores desejam conseguir mais informações sobre como as estrelas se  movimentam dentro da galáxia anã, e analisar como é a distribuição da matéria, tanto visível como escura, dentro da galáxia que supostamente perturbou a nossa.