Cientistas identificam as 13 emoções mais geradas pela música

Grupo da Universidade da Califórnia estabelece 13 emoções causadas pelos mais diferentes gêneros musicais

São Paulo – A fim de entender como a música afeta diferentes culturas, pesquisadores da Universidade da Califórnia, em Berkeley, entrevistaram moradores dos Estados Unidos e da China e observaram suas respostas emocionais para diferentes gêneros musicais, desde o rock até a música clássica.

A pesquisa, que foi publicada na revista Proceedings da Academia Nacional de Ciências dos EUA, organizou um mapa com 13 categorias: diversão, alegria, erotismo, beleza, relaxamento, tristeza, sonho, triunfo, ansiedade, medo, aborrecimento, desafio e energia. Cada emoção é representada por uma letra, e foram identificadas pelos próprios participantes conforme escutavam as músicas escolhidas. Confira, abaixo, uma representação do mapa interativo: 

Emoções na música

 (Alan Cowen/UC Berkeley/Reprodução)

Após entrevistar mais de 2 mil e 700 pessoas nos dois países, Alan Cowen, estudante de doutorado e neurociência e autor do estudo, e sua equipe utilizaram análises estatísticas para encaixar as respostas individuais de cada entrevistado nestas 13 categorias. Alguns dos gêneros colocados para teste foram folk, experimental, banda marcial, heavy metal, rock, música clássica europeia, jazz e música tradicional chinesa.

Em algumas músicas, os entrevistadores perceberam que várias das respostas eram similares, tanto para os americanos quanto para os chineses. A canção “Let’s Stay Together”, de Al Green, transmitia uma sensação de sensualidade para os entrevistados, enquanto “As Quatro Estações” de Vivaldi, passava uma sensação de energia. Já a trilha sonora da cena do chuveiro no filme “Psicose”, de Alfred Hitchcock, fez com que se sentissem amedrontados. 

Ainda que apenas duas culturas tenham sido consultadas, os pesquisadores argumentam que o estudo, quando estudar mais regiões do mundo, pode comprovar que a música é uma linguagem universal: “Será particularmente informativo estudar o espaço semântico da experiência subjetiva associada à música em culturas de pequena escala com contato ocidental limitado”, complementou Cowen no estudo.