Terra está mais verde hoje do que há 20 anos graças a estes dois países

Surpreendentemente, Índia e China, nações mais populosas do globo, lideram processo de "esverdeamento" da Terra, mostra novo estudo da Nasa

São Paulo – Em meio a tantos problemas ambientais que assolam a Terra, um estudo da agência espacial americana, Nasa, traz um dado, no mínimo, curioso: o Planeta está mais verde atualmente do que há 20 anos. E isso graças, principalmente, a dois países, China e Índia.

Segundo o estudo, a área global de cobertura folhosa aumentou em 5% desde o início dos anos 2000 em todo o mundo, uma área equivalente à da floresta amazônica.

As nações mais populosas do mundo respondem por um terço das novas florestas, plantações e outros tipos de vegetação observadas globalmente desde 2000.

Os resultados, publicados na revista Nature Sustainability, mostram que a China sozinha representa um quarto desse incremento de cobertura verde, igual ao observado na Rússia, nos EUA e no Canadá no mesmo período de tempo.

Por lá, 42% desse efeito vem principalmente dos ambiciosos programas de plantio de árvores, parte de um esforço nacional para reduzir a erosão do solo, poluição do ar e mudanças climáticas no país. Outros 32% provêm do cultivo intensivo de culturas alimentares.

A Índia, por sua vez, responde por 6,8% do aumento líquido de área verde global, segundo o estudo, com 82% desse incremento oriundo de plantios agrícolas e menor contribuição das florestas (4,4%). Os pesquisadores observam que a área de terra usada para cultivar na China e na Índia não mudou muito desde o início dos anos 2000. No entanto, ambos os países aumentaram consideravelmente o plantio de cultivos alimentares para atender à demanda de suas populações crescentes.

Há motivos para comemorar já que o Planeta está mais verde?

Calma lá. A pesquisa da Nasa mostra que esforços humanos sistemáticos de conservação podem recuperar áreas verdes que foram destruídas. Porém, algumas áreas de ecossistemas são insubstituíveis. Colocar a baixo uma floresta e depois trabalhar para recuperá-la não culminará necessariamente no retorno ao cenário inicial.  

Além disso, os pesquisadores ressaltam que o ganho de áreas verdes ao redor do mundo não necessariamente compensa a perda de vegetação natural em regiões de rica biodiversidade, como o Brasil e a Indonésia. Há consequências para a sustentabilidade e a biodiversidade nesses ecossistemas que vão além do simples aspecto verde da paisagem.

Para o estudos, os pesquisadores utilizaram dados de duas décadas de registros de satélites, que incluem o uso do sensor MODIS (Moderate Resolution Imaging Spectroradiometer), carro-chefe do programa Sistema de Observação Terrestre (EOS) da Nasa. 

Uma vantagem do MODIS é a cobertura intensiva que fornece no espaço e no tempo. Seus sensores capturaram até quatro fotos de quase todos os lugares da Terra, todos os dias, nos últimos 20 anos.