Defeito em foguete russo pode adiar viagem de astronautas à Estação Espacial

Lançamento ainda está previsto para esta quarta-feira (22)

Técnicos que supervisionam os preparativos para o lançamento nesta semana de uma nova nave Soyuz tripulada, com destino à Estação Espacial Internacional (ISS), detectaram um pequeno defeito no foguete propulsor, informaram nesta terça-feira (21) fontes da indústria espacial da Rússia.

“Durante os testes gerais do foguete propulsor Soyuz-FG que deve pôr em órbita a nave tripulada Soyuz TMA-17M houve algumas críticas ao funcionamento de um hardware. Os especialistas estão resolvendo o problema”, indicou a fonte citada pela agência russa Interfax.

A nova missão tripulada à ISS será lançada às 18h02 (horário de Brasília) de quarta-feira (22), da base de Baikonur, no Cazaquistão, com o russo Oleg Kononeko, o japonês Kimiya Yui e o americano Kjell Lindgren a bordo. O lançamento, porém, pode ser atrasado caso o defeito não seja consertado a tempo.

A missão já tinha sido adiada em maio, data inicial prevista, para julho, devido a uma série de erros registrados no programa especial russo nos últimos meses. No último dia 28 de abril, uma falha de um outro foguete Soyuz provocou o fracasso do lançamento do cargueiro espacial Progress M-27M, que levaria provisões para a ISS. A nave se desviou do caminho previsto e se desintegrou no espaço.

Dias depois, um satélite mexicano que seria colocado em órbita foi perdido após o foguete propulsor Proton também falar. O último contratempo ocorreu pouco antes do retorno à Terra da nave tripulada Soyuz TMA-15M, cujos motores se ligaram de forma não programada enquanto ainda estava acoplada à ISS.